Praias do Centro de Portugal vão exibir 81 bandeiras azuis em 2019

Centro de Portugal é, de longe, a região do país com mais praias fluviais galardoadas. A Praia de Mira recebe a distinção pelo 33.º ano consecutivo — é a única zona balnear do mundo com Bandeira Azul desde a sua criação.

As praias do Centro de Portugal ganharam este ano oito bandeiras azuis em relação a 2018, de acordo com a lista esta terça-feira divulgada pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE). Entre as 352 praias que vão poder exibir a bandeira azul nesta época balnear, constam 81 da região Centro de Portugal: 55 costeiras (mais 6 que em 2018) e 26 interiores (mais 2). Um sinal evidente de que a qualidade das águas nesta região é de qualidade irrepreensível e merecedora de toda a confiança.

A nível percentual, 23 por cento das praias galardoadas estão no Centro de Portugal. Note-se que o predomínio desta região nas praias interiores é quase total, com 26 das 36 praias fluviais distinguidas com bandeira azul a situarem-se na maior região de turismo do país!

De realçar que a Praia de Mira recebe a Bandeira Azul pelo 33.º ano consecutivo. Esta praia do Centro de Portugal é a única zona balnear do mundo com Bandeira Azul desde a sua criação, em 1987! Registe-se também que, além das 55 praias costeiras e 26 praias interiores, duas embarcações de ecoturismo que operam na região foram igualmente distinguidas com bandeira azul. São elas a Argus e a Bennu, ambas na Nazaré.

Este ano, a praia de Valhelhas, no concelho da Guarda, foi a praia de interior escolhida para receber a cerimónia oficial de hastear da primeira Bandeira Azul de 2019, no dia 5 de junho.

A qualidade das zonas balneares do Centro de Portugal é um dos grandes trunfos desta região. A faixa atlântica, que se estende de Ovar a Torres Vedras, é sinónimo de águas límpidas e areais intocados, sendo de sublinhar que a praia há mais tempo distinguida com Bandeira Azul em todo o mundo está no Centro de Portugal. E, ao contrário de outras regiões, conseguimos também oferecer a quem nos visita praias interiores verdadeiramente paradisíacas, onde há espaço e tempo para usufruir do melhor que a natureza tem para nos oferecer – um luxo no século XXI“, destaca Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal.

Segundo os critérios definidos pelo programa Bandeira Azul — Informação e Educação Ambiental; Qualidade da Água; Gestão Ambiental e Equipamentos; Segurança e Serviços — são as seguintes as zonas balneares integrantes da região de Turismo Centro de Portugal distinguidas com Bandeira Azul em 2019.

Praias Costeiras:
Esmoriz, Cortegaça, Areinho, Furadouro, São Pedro de Maceda e Torrão do Lameiro/Mareta (Ovar); Torreira, Monte Branco e Bico (Murtosa); São Jacinto (Aveiro); Barra e Costa Nova (Ílhavo); Vagueira e Areão (Vagos); Poço da Cruz e Praia de Mira (Mira); Praia da Tocha (Cantanhede); Quiaios, Buarcos, Figueira da Foz-Relógio, Cabo Mondego, Cova Gala, Cova Gala-Hospital, Murtinheira, Tamargueira e Leirosa (Figueira da Foz); Osso da Baleia (Pombal); Pedrógão Centro (Leiria); Paredes de Vitória e São Martinho do Porto (Alcobaça); Nazaré e Salgado (Nazaré); Praia do Mar e Foz de Arelho-Lagoa (Caldas da Rainha); Baleal Norte, Baleal Sul, Cova da Alfarroba, Gambôa, S. Bernardino, Medão-Supertubos e Consolação (Peniche); Areia Branca, Areal Sul e Porto Dinheiro (Lourinhã); Santa Rita Norte, Santa Rita Sul, Navio, Mirante, Pisão, Física, Santa Helena, Centro, Formosa, Azul e Porto Novo (Torres Vedras).

Praias Interiores:
Quinta do Barco (Sever do Vouga); Lapa dos Dinheiros e Loriga (Seia); Vimieiro e Reconquinho (Penacova); Cascalheiras-Secarias, Piódão e Côja (Arganil); Alvôco das Várzeas e Avô (Oliveira do Hospital); Palheiros-Zorro (Coimbra); Peneda-Pego Escuro e Canaveias (Góis); Bogueira e Senhora da Piedade (Lousã); Louçainha (Penela); Valhelhas (Guarda); Pampilhosa da Serra, Pessegueiro, Santa Luzia e Janeiro de Baixo (Pampilhosa da Serra); Bostelim (Vila de Rei); Carvoeiro (Mação); Aldeia do Mato e Fontes (Abrantes) e Agroal (Ourém)

Embarcações de ecoturismo:
Argus e Bennu (Nazaré)

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *