Carapito

Natal com temperaturas quase de Primavera

Natal2

A época de Natal neste ano chegou com temperaturas bem diferentes dos anos anteriores. Já todos estávamos habituados ao frio sem tréguas, mas este ano não foi assim.

No dia 24, como manda a tradição, tratores, camiões, carrinhas e máquinas retro-escavadoras carregaram e ajudaram a montar o cepo, que este ano nem foi preciso acender, dado que já tinha sido aceso nos dias anteriores e a lenha seca e o vento fizeram o resto.

Ao final da tarde estava pronto e, logo após a consoada, Carapitenses e outros visitantes começaram a juntar-se à sua volta, desta vez sem terem que se preocupar com o frio. O toque no sino chamou os mais distraídos, que foram aparecendo em bom número.

Ao longo da noite reinou o convívio. Desde as conversas aos reencontros, das concertinas ao realejo, tudo ajudou à festa.

Mais tarde chegou a panela de ferro para fazer o vinho quente, que numa mistura com laranjas, limões, açúcar e mais umas especiarias, foi ao encontro de muitos dos presentes. Depois chegaram ainda os couratos e as chouriças, pois o estômago já pedia, e assim foi até quase de madrugada.

Natal3

No dia de Natal o tempo continuou agradável e às 14h00 foi altura para a eucaristia, este ano menos participada. A missa começou com uma procissão com o andor do menino Jesus até ao altar, havendo ainda músicas de Natal cantadas pelos meninos das escolas.

Natal1

Sendo o Natal tempo de partilha, de união e de convívio entre familiares e amigos, Carapito representa todas essas virtudes, que nem com o tempo tendem a perder-se.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *