Carapito,  Notícias

Início formal da obra de requalificação do Dólmen I de Carapito já foi assinado em Aguiar da Beira

Dólmen I de Carapito. Município de Aguiar da Beira

Segundo nota de imprensa do Município, “foi assinado ontem, dia 2 de Setembro, em Aguiar da Beira, o auto de consignação da obra de requalificação do Dólmen I de Carapito — “Reconstituir a Mamoa“, acção que marca o início formal da empreitada.

Este foi um momento extremamente relevante não apenas para o concelho de Aguiar da Beira, mas para toda a região Centro de Portugal, pois com este acto dá-se início a uma obra aguardada há mais de 40 anos e que só o especial esforço do município permitiu que fosse concretizada a empreitada que agora irá ser iniciada“, continua.

O projecto foi adjudicado e elaborado pela empresa EON, Indústrias Criativas, e contou com a colaboração de vários especialistas nas áreas de arqueologia, conservação e restauro, engenharia e arquitectura.

“Um sonho tornado realidade”

A obra será executada pela empresa GUALDIM ANCIÃES AMADO & FILHOS, LDA e “tem um orçamento que ascende a 399 579,27 €“, sendo financiada no âmbito do programa Centro 2020. A requalificação do monumento contempla a recolocação da tampa e dos esteios tombados, assim como a reconstrução da mamoa que o cobria originalmente. A intervenção inclui ainda a definição de uma área de estacionamentos e a valorização paisagística do conjunto.

A intervenção de valorização deste património megalítico, para além da valorização do monumento, define-se como exemplo singular, seja nos aspectos construtivos e estruturais que permitirão a sua reconstrução, seja em termos científicos e didácticos com a reconstituição da mamoa, cuja significativa dimensão implicará um elemento de especial impacto na paisagem“, refere ainda o comunicado.

A inserção deste dólmen numa pequena rota local que envolve a passagem por outros três dólmens com diferentes características e em diversos estados de conservação e a sua inclusão na futura Rota do Megalitismo da Região Viseu Dão Lafões e Sever do Vouga, concretizam a integração deste monumento nacional em diversas escalas de percursos devidamente definidos, que caracterizam o património pré-histórico da região Centro.

O Dólmen I de Carapito foi classificado como Monumento Nacional em 1974, sendo o maior da região Centro de Portugal e o segundo maior do país. É um dos dólmens mais conhecidos internacionalmente e mais profundamente estudados em Portugal. Foi intervencionado pela primeira vez em 1966 por Vera Leisner e Leonel Ribeiro e, mais tarde, em 1989, por Domingos Cruz e Raquel Vilaça.

One Comment

  • Carlos Afonso Paixão Lopes 25-7-1959

    O comentário só pode ser: Até que enfim! Obrigado, a todos aqueles que, ao longo das últimas décadas, não esqueceram este valioso património de Carapito e do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *