Notícias

Carapito fez história a 10 e 11 de Maio

0

Há muito que se preparavam as comemorações do dia 10 de Maio em Carapito, data que assinalou os 500 anos da atribuição do foral à antiga vila.

A população da aldeia começou por mostrar-se um pouco reticente quanto àquilo que estava para acontecer, principalmente devido à novidade do evento. Após a abertura oficial das comemorações no primeiro de Janeiro, uma palestra sobre os forais em Março e várias outras realizações, poucos poderiam adivinhar aquilo de que realmente se tratava. Apelou-se à participação na feira quinhentista, ao uso de trajes da época e a comissão para as comemorações fez tudo para que a data fosse assinalada com a maior dignidade possível.

Logo que terminou a festa de S. Pedro de Verona iniciou-se a preparação das comemorações, que ao longo de toda a semana foi embelezando e caracterizando a Praça. No fim do dia 9 de Maio estava tudo pronto para receber a festa e no dia 10 bem cedo, os curiosos começaram a aparecer.

1

Cerca das 11h da manhã todos os que já tinham passeado pela Praça dirigiram-se ao Terreiro e de lá partiu o maior e mais bem organizado cortejo alguma vez realizado em Carapito. Cerca de 200 pessoas, grande parte trajadas, desfilaram pela Carreira de Cima, passando pela Praça e seguindo em direcção à fonte da Vila para depois voltarem à Praça, dando assim início às comemorações. No local já estavam todos os mercadores e expositores prontos a receber os visitantes. Todos puderam passear pela feira que era composta por certa de 30 expositores até que a hora de almoço chegou e grande parte preferiu saborear a carne de porco cozida com feijão e couve, mas também o porco no espeto.

2

3

A tarde seria de animação e música, desta vez com novo cortejo entre a casa da família Sá e Melo, onde o Rei D. Manuel I se apresentou ao público, seguindo depois de charrete em direcção à Praça para mandar que lessem o foral à povoação. Entre lutas com espadas, danças e teatros, o grande número de pessoas que afluiu a Carapito passou certamente uma tarde única.

4

Para o jantar estava reservada a sopa da pedra que o próprio Rei D. Manuel aprovou e depois todos aqueles os que a quiseram saborear. O dia terminou com a actuação do grupo de gaitas de foles “A Bagunda”,que rumou de Vigo a Carapito para ajudar à animação da festa.

5

No Domingo de manhã a Praça voltou a ganhar cor e um grande número de pessoas veio para receber D. Ilídio Leandro, bispo de Viseu, que se quis também ele associar às comemorações dos 500 anos do foral assim como à comemoração dos 50 anos da permanência do padre Silvério Cardoso em Carapito. A eucaristia, cheia de grande sentimento e significado foi seguida atentamente por uma igreja cheia de fiéis, estando reservadas para o final várias surpresas.

O monumento alusivo às comemorações, da autoria do escultor Laiginhas, foi depois apresentado e inaugurado por D. Ilídio Leandro. Os alunos das escolas de Carapito brindaram todos os presentes com a interpretação do hino das comemorações.

6

O almoço foi também um grande espaço de convívio e boa disposição, tendo ainda sido presenteados todos com um bolo de aniversário, confeccionado e oferecido pela pastelaria Balalaika.

As comemorações encerraram com um concerto da escola de música de Aguiar da Beira.

7

Nas palavras de muitos dos que tiveram a possibilidade de participar nas comemorações, foi sem dúvida um dia histórico, como nunca se tinha visto em Carapito. Segundo confidenciou o sr. António Coelho “vou em 90 anos e nunca tinha visto nada disto, foi tudo muito bonito”.

Ainda bem que assim foi e que todos participaram, criando um momento de grande união que tão cedo não será esquecido.

Também a rádio TSF visitou Carapito e reportou uma notícia sobre as comemorações que pode ser vista aqui.

Obrigado a todos quantos colaboraram na realização deste evento, tendo feito com que se alcançasse tanto em tão pouco tempo.

Brevemente será publicado o vídeo oficial das comemorações, havendo ainda a possibilidade de ser feita a encomenda de um DVD desde já.

Viva Carapito!
Vivam os carapitenses!
Viva o foral de Carapito!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *