Torres Vedras, Viseu e Aveiro recebem Festival Internacional de Cinema de Turismo

ART&TUR realiza-se nos próximos anos no Centro de Portugal. Edição de 2019 foi apresentada hoje, perante a presença de autarcas e dirigentes.

Luís Lima Santos (CITUR), Francisco Dias (Diretor do Festival ART&TUR), José Ribau Esteves (Presidente da Câmara Municipal de Aveiro), António Almeida Henriques (Presidente da Câmara Municipal de Viseu), Mariana Castelo Branco (Presidente do Júri do Festival ART&TUR 2019), Carlos Bernardes (Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras) e Pedro Machado (Presidente do Turismo Centro de Portugal). TCP

Torres Vedras, em 2019, Viseu, em 2020, e Aveiro, em 2021, vão receber as próximas edições do ART&TUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo. O certame, que atrai centenas de produtores e realizadores de todo o mundo, vai continuar assim a realizar-se no Centro de Portugal, depois do sucesso que constituiu o evento de 2018, em Leiria.

As novidades foram anunciadas hoje, durante a apresentação da edição de 2019, que vai decorrer de 22 a 25 de outubro, em Torres Vedras. A conferência de imprensa teve lugar no cenário idílico do Noah Restaurant & Beach House, na Praia da Física, em Santa Cruz, e contou com intervenções de Pedro Machado, Presidente do Turismo Centro de Portugal; Carlos Bernardes, Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras; José Ribau Esteves, Presidente da Câmara Municipal de Aveiro; António Almeida Henriques, Presidente da Câmara Municipal de Viseu; Francisco Dias, Diretor do Festival ART&TUR; Mariana Castelo Branco, Presidente do Júri do Festival ART&TUR 2019; e Luís Lima Santos, coordenador do CITUR – Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação em Turismo de Leiria.

Festival com quatro vertentes estimulantes

A edição de 2019 do Festival ART&TUR compreende quatro eventos em simultâneo: “Art&Film”, “Art&Talk”, “Art&Factory” e “Art&Show”.

O “Art&Film” consiste no Festival de Cinema de Turismo propriamente dito. A inscrição de filmes já está disponível, no site do Festival, em https://tourfilm-festival.com.

O “Art&Factory” foi uma novidade de 2018, cujo sucesso superou todas as expetativas, o que levou a organização a apostar ainda mais neste evento. Esta é uma iniciativa em que equipas de produtores e realizadores são convidados a participarem numa competição, em que são dadas condições iguais a todas. No ano passado, a competição decorreu nas Aldeias do Xisto e Aldeias Históricas de Portugal, todas no Centro de Portugal. Os participantes viajaram para Portugal uma semana antes do início do Festival e tiveram três dias para filmar numa aldeia, e mais dois dias para editar. Ao sexto dia apresentaram os seus filmes numa sessão especial do Festival, perante o júri internacional. Este ano, a novidade é que, além da competição mundial focada nas Aldeias do Xisto e Aldeias Históricas, haverá uma outra competição puramente lusófona – o “Amazonian Connection” –, em que cada equipa de participantes produzirá dois filmes, de modo a juntar os municípios homónimos de Portugal e da Amazónia brasileira, nomeadamente Alenquer, Aveiro, Bragança, Óbidos, Ourém, Porto de Mós, Santarém, Soure e Viseu.

O “Art&Talk” é uma parte importante da programação do Festival, sendo dedicado ao debate de temas relevantes da promoção audiovisual do turismo. Nesta componente, irá acontecer uma Conferência Internacional de Marketing Turístico e Branding de Destinos, que integrará a programação do Festival. As palestras irão intercalar a apresentação dos filmes.

O “Art&Show” é uma componente da programação que visa propiciar uma experiência memorável a todos os participantes do Festival na região de Torres Vedras. Visitas, provas gastronómicas, exposições e espetáculos musicais são alguns dos eventos programados.

Luís Lima Santos (CITUR), António Almeida Henriques (Presidente da Câmara Municipal de Viseu), Carlos Bernardes (Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras), Pedro Machado (Presidente do Turismo Centro de Portugal), José Ribau Esteves (Presidente da Câmara Municipal de Aveiro), Francisco Dias (Diretor do Festival ART&TUR) e Mariana Castelo Branco (Presidente do Júri do Festival ART&TUR 2019). TCP

Projetar o Centro de Portugal e o país no Mundo

Com o Festival Art&Tur, ajudamos a projetar Portugal no mundo, graças à exibição de filmes portugueses”, sintetizou Francisco Dias, diretor do Festival, na apresentação que fez de todas as iniciativas. Sublinhando que o júri internacional é constituído por 25 membros, de 12 países, Francisco Dias realçou que são esperados entre 300 a 400 filmes, oriundos de 40 a 60 países, na componente competitiva do evento.

Luís Lima Santos, do CITUR, explicou que a Conferência Internacional inserida no “Art&Talk” trará a Torres Vedras vários especialistas nacionais e internacionais no maketing e branding de destinos, naquela que constitui uma excelente oportunidade de debate.

O anfitrião Carlos Bernardes destacou o facto de a apresentação acontecer na Praia de Santa Cruz, um “destino turístico que ganhou o galardão Green Destination”, num sinal de “sustentabilidade” do turismo. O Festival ART&TUR, elogiou, é hoje um “evento de referência, que ajuda a divulgar destinos cinematográficos que as pessoas podem visitar”. Por outro lado, “é um certame que ajuda a combater a sazonalidade, uma vez promove os territórios ao longo do ano, e não apenas em época específicas”, o que, no seu entender, demonstra uma “visão estratégica e integrada”. “Saúdo essa visão estratégica de um projeto que se estende, pelo menos, até 2021”, disse.

António Almeida Henriques, líder do município que vai receber o Festival em 2020, elogiou igualmente a “lógica continuada da localização do Festival, que permite às cidades que se seguem aproveitarem a edição anterior para se promoverem”. No caso de Viseu, “o envolvimento é quase natural, por ser a maior cidade fora do litoral, pela sua História e monumentalidade, por ser a cidade jardim, pela sua vertente vinhateira…”. Almeida Henriques enalteceu igualmente o facto de “os autarcas cooperaram cada vez mais entre si, defendendo os seus territórios”. “Temos dado bons exemplos ao país a esse nível”, sublinhou.

Aveiro vai receber o Festival em 2021. O seu presidente da Câmara, José Ribau Esteves, realçou que o “ART&TUR é um excelente pretexto para dar a conhecer territórios fantásticos”. “É um privilégio sermos do Centro de Portugal. Esta é mais uma aposta de somar do Turismo Centro de Portugal, entidade que no início começou a construir do nada e da qual hoje assistimos à maturidade”, destacou. “Aveiro será um bom herdeiro do trabalho que se fará em Torres Vedras e em Viseu”, assegurou.

Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, salientou que “o Turismo do Centro agarrou este projeto com alma e coração”. “O Festival ART&TUR é uma aposta estratégica do Turismo do Centro. Precisamos de alimentar a indústria do turismo e isso passa por estruturar e aumentar a oferta turística. Este Festival insere-se nessa estratégia, uma vez que é um ativo muito forte para a região. Com a Centro Portugal Film Commission desenvolvemos uma estrutura capaz de criar este evento”, frisou. Pedro Machado recordou ainda que o turismo cinematográfico “é um instrumento poderoso” de promoção, levando os visitantes a territórios menos maduros do ponto de vista turístico – uma vez que cada vez mais turistas querem conhecer os cenários de filmes e séries que viram nos ecrãs.

Por outro lado, acrescentou Pedro Machado, o facto de o Festival ART&TUR circular por várias cidades nos próximos anos “reforça a coesão territorial do Centro de Portugal e permite a cada uma destas cidades mostrar o melhor de si próprias”. “Aquilo que estamos a fazer é desenhar novas redes”, concluiu.

Um Festival de importância crescente

Desde a sua primeira edição em Barcelos, em 2008, o Festival ART&TUR tem dado a conhecer as melhores produções audiovisuais de turismo realizadas a nível nacional e internacional. Enquanto fórum de partilha de experiências, o Festival ART&TUR tem conquistado elevado reconhecimento internacional, mercê da qualidade e quantidade de filmes que distingue anualmente, bem como da sua integração numa rede mundial de festivais congéneres: o CIFFT (Comité Internacional dos Festivais de Filmes de Turismo), que elege anualmente o melhor filme de turismo a nível mundial, entre todos os filmes que percorrem o circuito internacional de 16 festivais.

A partir de 2018, a Centro de Portugal Film Commission (CPFC) e a Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal associaram-se ao Festival, que passou a ser realizado na região Centro de Portugal, com carácter de itinerância por vários municípios.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *