Notícias

Resultado do Inquérito Caruspinus

No passado mês de Julho o Caruspinus lançou em inquérito uma consulta acerca do interesse e importância do jornal, principalmente para Carapito e os seus habitantes.

O inquérito teve 25 respostas válidas, trazendo várias propostas com vista ao melhoramento do jornal no seu todo.

 A pirâmide etária das idades dos participantes é a seguinte.

G1

Sendo o seu género dividido da seguinte forma.

G2

De seguida apresentam-se as perguntas juntamente com as respostas de forma gráfica.

1. Que importância vê na edição do Caruspinus em papel?

 

P1

2. Que importância vê na edição online do Caruspinus?

P2

3. Que importância vê nas notícias publicadas pelo Caruspinus?

P3

4. Que importância vê na existência do jornal para Carapito e os seus habitantes?

P4

5. Que importância vê na existência do jornal para o concelho e a região?

 P5

6. Que actualidade vê nas notícias publicadas pelo Caruspinus em papel?

P6

7. Que actualidade vê nas notícias publicadas pelo Caruspinus online?

P7

8. Que isenção e imparcialidade vê nas notícias publicadas pelo Caruspinus?

P8

Aqui devemos referir que apesar de muitas das notícias não serem recolhidas directamente na fonte por nem sempre ser possível, os próprios carapitenses são os seus mensageiros, limitando-nos nós a reportar o que nos é transmitido. Quando os artigos são assinados pelos diversos colaboradores, cada um tem a liberdade para se expressar como quiser e sobre o que quiser. O Caruspinus, sendo propriedade do Clube Cultural e Recreativo de Carapito não está ligado a nenhum partido político ou grupo de pessoas. Desde que foi fundado em 1979 passaram já pela direcção do Clube 13 direcções diferentes, tendo o Caruspinus colaborado com todas elas, pretendendo continuar a fazê-lo daqui para o futuro.

9. Quanto acha que o Caruspinus é importante para Carapito, o seu desenvolvimento e divulgação?

P9

10. Acha que o Caruspinus pode melhorar?

P10

De entre os que responderam que sim, os comentários e sugestões foram vários, nomeadamente:

– algumas das notícias são desactualizadas, o que as torna menos importantes. Ao optar por não publicar essas notícias, ficará espaço para outras mais importantes e que eventualmente são menos exploradas;

– criação de uma secção infantil, com jogos, desenhos para colorir, ligar números para criar um desenho, por forma a incutir o gosto por receber o Caruspinus desde cedo;

– apresentação de textos mais pequenos e com mais fotografias;

– criação de uma página dedicada aos emigrantes, quer fora de Carapito mas dentro de Portugal, quer fora de Portugal, que são quem mais valoriza as notícias do jornal;

– alterar o design da capa, alterando a posição do título do jornal;

– divulgar ainda mais as empresas/empresários e pessoas de Carapito;

– melhorar a qualidade dos textos e a variedade de assuntos tratados;

– maior diversidade de notícias locais, e ainda,

– mais informação do concelho e outras aldeias circundantes fora do concelho.

 Todas elas são bem vindas, são construtivas e serão tidas em conta. Assim, lanço desde já aqui o desafio muito concreto:

– aos emigrantes peço que nos enviem as suas histórias, as suas notícias, o seu dia-a-dia ou simplesmente aquilo que achem que poderá ter interesse para os leitores. Poderá ser simplesmente um pequeno texto acompanhado de uma fotografia onde fale um pouco de si e daquilo que faz. Criaremos assim “O Cantinho do Emigrante”.

– aos alunos da escola primária e jardim infantil de Carapito será lançado o desafio de, um ou dois em cada edição, terem um jogo para descobrir as diferenças, para construir um desenho ligando números, entre outros, que depois aparecerá na secção “Caruspinus Infantil”.

– naquilo que toca à qualidade/quantidade dos textos, faremos o nosso melhor para o melhorar, tendo também atenção à actualidade das notícias.

– tal como até aqui, continuaremos a divulgar todas as empresas/empresários de Carapito, trazendo sempre que possível a voz de todos ao nosso jornal.

11. Acha que a periodicidade do jornal (bimestral) está ajustada à realidade?

P11

Em alternativa à actual periodicidade, os três participantes disseram que esta poderia passar a ser mensal. Essa é uma situação que de facto gostaríamos que acontecesse, mas infelizmente de momento é completamente impraticável, primeiro porque iria duplicar os custos para os assinantes e o jornal, ao passar de 6 para 12 edições, segundo, porque nem sempre iria haver notícias suficientes para fazer um jornal coerente. Assim sendo, a periodicidade irá manter-se em bimestral como disseram a maioria dos participantes.

12. Acha que o número de páginas é adequado?

P12

O número de páginas varia entre as 12 e as 16, dependendo das edições, não devendo alterar esse número mais uma vez para não sobrecarregar os assinantes e o jornal e para que este se possa manter auto-sustentável como até aqui.

13. Qual é a sua satisfação relativamente ao relato de notícias quotidianas de Carapito?

P13

14. Qual é a sua satisfação relativamente à divulgação das actividades realizadas?

P14

15. Qual é a sua satisfação relativamente à divulgação das empresas e comerciantes de Carapito?

P15

16. Qual é a sua satisfação relativamente à existência de reportagens com a população?

P16

17. Qual é a sua satisfação relativamente à publicação de estudos e dados de interesse sobre Carapito?

P17

18. Qual é a sua satisfação relativamente ao espaço dado para a opinião do leitor?

P18

Das respostas às perguntas 14 a 18 podemos ver que há um número significativo de pessoas que estão pouco satisfeitas com a divulgação das actividades realizadas, empresas e empresários, reportagens com a população, publicação de dados e estudos de interesse sobre a freguesia ou mesmo com o espaço dado à opinião do leitor, que não ignoramos. No que toca à divulgação das actividades realizadas, por querermos ter uma divulgação o mais geral possível, por vezes aparecem algo desactualizadas. Talvez seja preciso repensar o assunto por forma a melhorar a situação. Quanto à divulgação das empresas e comerciantes, pretendemos manter a média de um por edição, sendo uma questão de tempo até que passemos por todos. Quanto à divulgação de estudos/dados sobre a freguesia, tem vindo a ser feito, se bem que nem sempre compreendido. Ainda assim, por necessitar de investigação e tempo, este é um assunto que não é recorrente. Finalmente, em relação à opinião do leitor, o Caruspinus está sempre disponível para publicar os textos de todos e até hoje nunca nenhum foi recusado, pelo que continuamos igualmente receptivos.

19. O que acha do design e grafismo do jornal?

P19

20. Há alguma coisa em particular que não goste no Caruspinus?

P20

21. O que é que acha que não está a ser abordado no Caruspinus e deveria sê-lo?

Aqui foram também apresentadas algumas propostas, nomeadamente:

– criação de um espaço dedicado ao presidente da Junta de Freguesia, para que este possa abordar projectos/obras em curso ou previstas;

– maior ênfase às pessoas da terra;

– mais entrevistas ou fotobiografias de carapitenses que estão fora da sua terra, mas são relevantes no seu meio e para Carapito;

– nunca faltar uma entrevista com uma pessoa de relevo, seja residente em Carapito ou noutro local qualquer;

– mais espaço para os jovens se expressarem, e,

– maior divulgação da actividade e acção política de Carapito.

Mais uma vez, todos os comentários são bem vindos e serão tidos em conta. Já é nosso hábito consultar o presidente da Junta de Freguesia para que este nos possa dar conta da acção da Junta. Tentaremos apresentar a informação de forma mais clara e explícita, deixando também a disponibilidade para a criação desse espaço no jornal, assim o presidente ou a Junta de Freguesia o entendam, podendo divulgar tudo o que acharem importante, seja ao nível de obras, projectos ou mesmo a actividade política da freguesia. Relativamente à disponibilidade de espaço para entrevistas/fotobiografias de emigrantes, direcciono para o que foi dito atrás, reafirmando a disponibilidade. Igualmente, o Caruspinus sempre esteve aberto à colaboração dos jovens e de todas as pessoas em geral e continuará a está-lo. Sempre que assim o entenderem só têm que nos enviar o vosso contributo. Posso adiantar também que está já a ser pensada a próxima série de entrevistas a pessoas que não têm que ser necessariamente pessoas de relevo, empresários ou dirigentes, reafirmando a ideia que é objectivo do Caruspinus dar a voz a todos.

22. O que é que acha que está a ser abordado no Caruspinus e não deveria sê-lo?

Quanto aos comentários nesta pergunta ressalta mais uma vez o facto de haver textos pessoais demasiado longos que “roubam” espaço a outros apontamentos noticiosos. Assim, deixamos o repto aos colaboradores para que continuem a enviar-nos os seus textos, sendo mais resumidos para não cansar o leitor.

23. Acha que o Caruspinus traduz de forma fiel a realidade?

P23

24. Relativamente ao website do Caruspinus (www.caruspinus.pt), acha que é de fácil navegação?

P24

Não tendo sido apontados problemas de maior com a navegação na página, ressalta o facto de haver quem veja as notícias com as fotos desformatadas em altura. Não digo que não possa acontecer, mas a partir da utilização com os três principais browsers, Internet Explorer, Mozilla Firefox e Google Chrome, não foram encontrados problemas. O uso noutros browsers ou mesmo em dispositivos móveis não pode ser garantido para já.

25. Qual é o seu grau de satisfação geral com o Caruspinus?

P25

O Caruspinus agradece a todos os que participaram, dando contributos todos eles válidos para a melhoria do jornal. O objectivo deste inquérito não foi somente estatístico, pretende-se realmente implementar as sugestões dos leitores.

Pudémos também ver que a maioria dos leitores aprova e apoia o trabalho até aqui realizado, pelo que continuaremos no mesmo caminho, tentando sempre melhorar.

Exaltando Nossas Gentes

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *