Criminalidade no distrito da Guarda voltou a aumentar

O Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2017, divulgado na passada semana, regista um aumento de 3,3% da criminalidade geral e uma diminuição de 8,7% da violenta e grave. O distrito da Guarda registou o maior aumento percentual de criminalidade violenta e grave e o segundo maior de criminalidade geral.

RASI 2017

No Relatório Anual de Segurança Interna referente ao ano de 2017 os crimes de moeda falsa, os incêndios florestais e a burla foram os que mais contribuíram para o aumento de 3,3% da criminalidade geral. No ano passado foram registadas mais 11.078 ocorrências criminais (330.872 para 341.950). Por outro lado, os crimes violentos e graves registaram uma diminuição de 8,7%, com menos 1.458 ocorrências (16.761 para 15.303).

Na criminalidade violenta e grave as maiores descidas foram nos distritos de Vila Real (-33%), Coimbra (-27,5%), Setúbal (-12%), Lisboa (-9,7%) e Porto (-7,8%). As maiores subidas registaram-se nos distritos da Guarda (+35%), Évora (+26%) e Portalegre (+19%).

No distrito da Guarda, depois de uma diminuição de 9,9% da criminalidade geral e de 25,3% da criminalidade violenta e grave de 2015 para 2016, registou-se em 2017 um aumento de 6,7% da criminalidade geral, o segundo maior do país, e um aumento de 35,6% da criminalidade violenta e grave, o maior de todos os distritos, onde a grande maioria apresentou uma diminuição.

RASI

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *