CP suprimiu ligações entre a Guarda e Lisboa — procura justificou a decisão

A CP suprimiu, a partir de 31 de Maio, três ligações de Intercidades na Linha da Beira Alta, duas no sentido Lisboa-Guarda e uma no sentido Guarda-Lisboa. 

A empresa pública de caminhos de ferro realiza agora até três ligações de Intercidades em cada sentido. Da Guarda saem comboios às 07:07 (todos os dias), 12:37 (todos os dias) e 18:07 (aos Domingos, excepto se segunda-feira for feriado). De Lisboa saem comboios às 07:30 (aos sábados), 12:30 (todos os dias) e 18:30 (todos os dias). Para além destas há outras ligações de Regional, mas que implicam transferência de comboio na Pampilhosa ou Coimbra B e períodos de espera entre comboios de cerca de 1 hora.

As obras a decorrer na linha da Beira Alta obrigam também ao transbordo rodoviário, entre 2 e 12 de Junho [1, 2].

A decisão tem vindo a ser contestada pelos vários presidentes de câmara cujos concelhos são afectados pelas supressões, e também pela CIM Viseu Dão Lafões, que diz ser “mais um ataque ao interior“, pelo que manifesta o seu “repúdio por tal decisão, exigindo a reposição imediata dos horários suprimidos, mantendo em funcionamento a operação até aqui desenvolvida“. A CIM criticou ainda o facto de a supressão das três ter sido feita “a coberto da situação vivida pelo país, por força do surto pandémico de COVID-19“, e “sem que antes tenha estabelecido qualquer tipo de diálogo com a CIM Viseu Dão Lafões, nem com os municípios seus associados“. “Não pode uma empresa, que até é paga com os impostos de todos os portugueses, tomar decisões que contribuem para o isolamento das populações e que colocam em causa a coesão social dos territórios“, critica a CIM Viseu Dão Lafões.

Numa resposta enviada à agência Lusa, a CP disse que “no cenário de retoma gradual da actividade económica do país“, a empresa não repôs a oferta habitual “a 100 por cento” nesta ligação. “Assim, desde o passado dia 31 de Maio, as ligações Lisboa-Guarda passaram a ser asseguradas por dois comboios Intercidades, por sentido. A CP vai manter diariamente a monitorização da procura destes serviços para introduzir eventuais alterações ou reforços de capacidade, sempre que a evolução da procura o justifique“.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *