Concelho,  País

COVID-19: missas, catequeses e outros actos de culto suspensos

Governo declarou “estado de alerta”, até, pelo menos, 9 de Abril, suspendendo aulas e visitas a lares de idosos em todo o país, cancelando eventos, entre muitas outras medidas. Missas, catequeses e outros atos de culto estão também suspensos.

O Primeiro-Ministro, António Costa. RTP

O Primeiro-Ministro anunciou ontem, numa comunicação ao país, medidas extraordinárias e de carácter urgente de resposta à situação epidemiológica do novo coronavírus. No total, são 30 medidas nas várias áreas, que pode ler aqui. A população irá também passar a receber alertas por SMS.

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) decidiu esta sexta-feira suspender as missas, catequeses e outros actos de culto até que esteja superada a atual situação de emergência de disseminação do novo coronavírus.

Em comunicado, a CEP anuncia que determina “que os sacerdotes suspendam a celebração comunitária da Santa Missa até ser superada a atual situação de emergência“.

Também devem seguir-se as indicações diocesanas referentes a outros sacramentos e atos de culto, bem como à suspensão de catequeses e reuniões“, acrescenta.

No entanto, os bispos portugueses defendem que esta suspensão seja complementada com “as possíveis ofertas celebrativas na televisão, rádio e internet“.

Município de Aguiar da Beira apresentou plano de contingência

A Câmara Municipal de Aguiar da Beira apresentou um documento que tem como missão acompanhar a evolução da propagação da doença provocada pelo coronavírus (COVID-19), “antecipar e implementar as medidas e acções adequadas de prevenção, intervenção e recuperação a fim de assegurar a continuidade das atividades essenciais e prioritárias do Município, apoiar as populações e restabelecer, caso se justifique, a normalidade“, informou.

O documento orienta os trabalhadores do Município, colaboradores e munícipes sobre o novo vírus, as medidas de prevenção e controlo desta infecção e os procedimentos e medidas a adoptar perante a identificação de casos suspeitos e/ou confirmados.

O documento pode ser consultado aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *