Notícias,  País

Convívios familiares originaram 67% dos casos de Covid-19 dos últimos dias

Direcção-Geral de Saúde revelou esta sexta-feira que 67% dos novos casos de Covid-19 em Portugal nos últimos dias tiveram origem em convívios familiares como baptizados, bodas e banquetes

A Direcção-Geral de Saúde (DGS) revelou esta sexta-feira que os convívios familiares em baptizados, bodas e banquetes deram origem a 67% dos novos casos de Covid-19 em Portugal, alertando ainda para o impacto das festas de jovens sobre os serviços de saúde.

Na conferência de imprensa de actualização de informação sobre a evolução da pandemia, Graça Freitas alertou para a “transmissão crescente do vírus na comunidade” e apelou aos portugueses para que “tentem confraternizar menos nesta fase“.

Estas confraternizações familiares têm sido responsáveis por 67% dos casos reportados nos últimos dias em Portugal. Quando as autoridades de saúde fazem uma investigação epidemiológica encontram esse tipo de convívio, por isso [faço] um grande apelo para que as famílias se coíbam nesta fase de ter estes encontros festivos, que, obviamente, levam à descontração e esta leva a múltiplos contactos“, referiu a Directora-Geral de Saúde, Graça Freitas.

Graça Freitas visou ainda os festejos de jovens neste período de regresso das aulas nas universidades para realçar o efeito negativo que podem ter sobre a comunidade e as estruturas sanitárias.

Não estamos em 2019. Gostaríamos de estar, mas estas pessoas originam surtos grandes com muitas pessoas, que geram uma enorme carga de trabalho sobre os serviços de saúde. As pessoas jovens têm casos menos graves, mas não têm zero doença. E mesmo que um jovem não tenha doença grave, é vector de transmissão de doença para outros grupos“, referiu, acrescentando que o “comportamento” é a única medida possível, face à ausência de vacina ou medicamento para a Covid-19.

Portugal registou esta sexta-feira mais 12 mortos relacionados com a Covid-19 e 1.394 novos casos de infecção, totalizando agora 2.062 mortes e 83.928 casos registados.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *