Cerca de 1400 condutores multados por uso do telemóvel ao volante

©GNR

A Campanha de Segurança Rodoviária “Ao volante, o telemóvel pode esperar”, da responsabilidade da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP), decorreu entre os dias 15 e 21 de Fevereiro e teve como objetivo alertar os condutores para as graves consequências do manuseamento do telemóvel durante a condução.

Pela primeira vez, esta campanha contou com a participação dos serviços das administrações regionais das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, com competências atribuídas no continente à ANSR, conferindo assim um caráter verdadeiramente nacional à medida e completando o trabalho que tem sido realizado pelos comandos Regionais da PSP“, referiu a GNR em comunicado.

Inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2022, a campanha contou com cinco ações de sensibilização da ANSR, realizadas em simultâneo com as operações de fiscalização da responsabilidade da GNR e PSP, nas localidades de Lisboa, Bragança, Guimarães, Vila Pouca de Aguiar e Cova da Piedade. Idênticas ações ocorreram nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Durante as operações das Forças de Segurança no âmbito da campanha referida foram fiscalizados presencialmente em Portugal 51 112 veículos, tendo sido registado um total de 15 176 infrações, das quais 1394 relativas ao manuseamento do telemóvel durante a condução.

No período da campanha foi registado um total de 2178 acidentes, de que resultaram 11 vítimas mortais, 30 feridos graves e 618 feridos leves. As 11 vítimas mortais, todas do sexo masculino, tinham idades entre 19 e 83 anos.

Os acidentes ocorreram nos distritos de Braga, Leiria e Lisboa, com 2 acidentes em cada distrito, e ainda nos distritos de Viseu, Portalegre, Setúbal, Évora e Beja. Destes acidentes, 8 foram despistes, dos quais 7 com veículos ligeiros e 1 com motociclo.

Nas 3 colisões ocorridas estiveram envolvidos veículos ligeiros, tendo-se verificado 2 acidentes envolvendo a colisão com motociclos e 1 acidente em que a colisão foi com um velocípede. Nas colisões, as vítimas mortais foram os condutores dos motociclos e do velocípede.

Relativamente ao período homólogo de 2021, verificaram-se mais 817 acidentes, mais 6 vítimas mortais, mais 5 feridos graves e mais 219 feridos leves.

Com esta campanha, foi dado mais um passo para o envolvimento dos condutores no desígnio de tornar a segurança rodoviária uma prioridade de todos“, concluiu a GNR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.