Carapito

Carnaval em Carapito cada vez mais único no país

O Carnaval em Carapito não se dedica aos desfiles, ao samba ou à sátira política através de carros alegóricos. Também não atrai milhares de pessoas nem dá que falar lá fora. É, por outro lado, um Carnaval diferente, particular e único.

Filipe Pinto

Faltam ainda alguns dias para a chegada do dia de Carnaval. Em Carapito, os dias não são passados a preparar um desfile, muito menos a construir carros alegóricos. São antes as noites que mais movimento têm e os Carapitenses sabem já, que descuidando-se no arrumo dos seus pertences, estes podem desaparecer temporariamente.

É assim todos os anos e a cada ano que passa a fasquia sobe um pouco mais. Neste ano, a noite de sábado para domingo já tinha sido bastante movimentada. Mas, foi só nesta terça-feira bem cedo, que o resultado dessas movimentações teve a devida expressão. A Praça “acordou” mais uma vez intransitável. E não foi só com os vasos de flores, os caixotes de lixo, as mesas ou as cadeiras. O material recolhido passou ainda pelos animais e seus currais, que, apanhando-se também estes “distraídos”, mudaram de morada da noite para o dia, quando menos esperavam.

Este ano, a novidade veio sob a forma de placas informativas que, espalhadas por toda a aldeia, expressaram o humor do seu autor, que precisou de trabalhar durante toda a noite para concluir a árdua tarefa, segundo ele mesmo o informou. E, nisto, nem o próprio Presidente da Junta foi poupado, sendo mesmo “apelidado” de Donald Trump, ainda que, felizmente, bem longe da realidade. O resto da manhã fica obrigatoriamente destinado à recolha dos pertences que, pela sua quantidade e diversidade, sempre demora o seu tempo.

Filipe Pinto

Após o almoço o programa é outro e a tarde é dedicada ao convívio entre todos, uns usando as tradicionais máscaras, outros, juntando-se simplesmente à folia.

Com a Junta de Freguesia encarregue dos comes e bebes, a sardinha assada e o vinho tinto trazem o resto do contentamento. E nem mesmo a chuva, que é demasiado assídua neste dia, demove os foliões de uma tarde bem passada, onde a música e o convívio entre todos os Carapitenses, cada vez mais visitados por amigos e conhecidos, dão o mote para um dia diferente, especial e cada vez mais marcante no calendário cultural de Carapito.

Filipe Pinto

As fotos do Carnaval Carapitense podem ser vistas aqui.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *