Câmara Municipal de Aguiar da Beira contra o encerramento de Loja dos CTT

Coordenação Retalho do Norte da empresa CTT pretende converter a Loja dos CTT de Aguiar da Beira em Posto CTT, dentro de um mês. Município de Aguiar da Beira manifesta-se contra a decisão.

O Município de Aguiar da Beira, através do seu presidente, Joaquim Bonifácio, manifestou esta quinta-feira o seu “repúdio” perante “a decisão de encerramento da Loja CTT no respetivo concelho, com execução “sumária” à vista, sem auscultação prévia do Município e possibilidade de ponderada concertação, com vista a serem asseguradas, localmente, a continuidade, a qualidade e a acessibilidade dos serviços CTT“.

Em nota enviada às redações, Joaquim Bonifácio diz ainda que “o Município de Aguiar da Beira vê nesta decisão, o desejo expresso de desinvestimento da empresa no concelho e de deslocalização de um serviço público essencial para a sua população, maioritariamente envelhecida e vulnerável, antecipando o desaparecimento, a curto prazo, de todo e qualquer serviço dos CTT neste território e na grande maioria dos territórios do Interior“.

Segundo a nota, a autarquia de Aguiar da Beira já endereçou à Associação Nacional de Municípios Portugueses, que também repudia a decisão, uma exposição através da qual manifesta o seu desacordo e “absoluto repúdio à decisão de extinção da Loja CTT” no concelho.

O Município de Aguiar da Beira procurará travar, por todos os meios e junto de diversas entidades, a decisão de encerramento da única Loja CTT sedeada em Aguiar da Beira. Como é sua obrigação, em defesa do interesse público e da manutenção de serviços essenciais à sua população“, conclui Joaquim Bonifácio.

As várias autarquias do distrito da Guarda têm vindo a ser informadas do fecho dos balcões CTT ao longo do último mês. Para além dos balcões dos CTT de Fornos de Algodres, Manteigas e Aguiar da Beira, prevê-se que sejam abrangidos mais concelhos do distrito da Guarda, podendo apenas ficar de fora a Guarda, Seia e Sabugal.

Leia aqui a nota na íntegra:

O Município de Aguiar da Beira foi informado pela Coordenação Retalho do Norte da empresa CTT, que a Loja CTT de Aguiar da Beira, sedeada na sede do concelho, e a única existente, vai ser transformada em Posto CTT, dentro de um mês.

O Município de Aguiar da Beira não aceita e repudia a decisão de encerramento da Loja CTT no respetivo concelho, com execução “sumária” à vista, sem auscultação prévia do Municipio e possibilidade de ponderada concertação, com vista a serem asseguradas, localmente, a continuidade, a qualidade e a acessibilidade dos serviços CTT.

O Município de Aguiar da Beira vê nesta decisão, o desejo expresso de desinvestimento da empresa no concelho e de deslocalização de um serviço público essencial para a sua população, maioritariamente envelhecida e vulnerável, antecipando o desaparecimento, a curto prazo, de todo e qualquer serviço dos CTT neste território e na grande maioria dos territórios do Interior.

Nesse sentido, endereçou à Associação Nacional de Municípios Portugueses, exposição do seu desacordo e absoluto repúdio à decisão de extinção da Loja CTT em Aguiar da Beira e à intenção da empresa transferir a prestação dos seus serviços para terceiros, já confirmadas noutros municípios, quebrando assim a responsabilidade contratual e legal assumida no Contrato de Concessão do Serviço Postal Nacional assinado com o anterior Governo.

O Município de Aguiar da Beira congratula-se pela posição da Associação Nacional de Municípios Portugueses, tomada em sessão do Conselho Diretivo do dia 09 de outubro e tornada pública, que repudia a vaga de encerramento de estabelecimentos postais concelhios pretendida pela empresa CTT, designadamente nos Municípios de Fornos de Algodres, Manteigas e Aguiar da Beira- bem como na maioria dos Municípios da Comunidade Intermunicipal do Douro – e desafia o Governo a intervir nesta matéria e no Contrato de Concessão do Serviço Postal Nacional em vigor.

O Município de Aguiar da Beira revê-se e subscreve integralmente a posição da Associação Nacional de Municípios Portugueses, partilhando o sentimento de que “não é aceitável que, por um lado, sejam equacionadas medidas de diferenciação positiva para os territórios do interior, visando-se um maior equilíbrio do país, e, por outro lado, se retirem serviços às populações, desde logo às mais idosas e desprotegidas que aí vivem. O Governo tem um importante papel na promoção da coesão territorial, devendo, por isso, pôr termo às medidas que desqualificam e agravam ainda mais as já débeis condições de prestação do serviço público postal pelos CTT.”

O Município de Aguiar da Beira procurará travar, por todos os meios e junto de diversas entidades, a decisão de encerramento da única Loja CTT sedeada em Aguiar da Beira. Como é sua obrigação, em defesa do interesse público e da manutenção de serviços essenciais à sua população.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *