Concelho,  País

Piquenique da CCAB em Lisboa

Piquenique CCAB

Embora com alguma desorganização e atraso, dado que no dia anterior não se pôde “montar a tenda”, os dirigentes, familiares e amigos da CCAB, cerca das 11 horas tinham as coisas minimamente preparadas para arrancar o piquenique, da Casa do Concelho de Aguiar da Beira em Lisboa, no passado domingo dia 12 de Julho.

O dia “acordou” bom, com muito sol e calor. A RDP antena 1, a Rádio Altitude da Guarda e o jornal Correio da Manhã, fizeram alguma divulgação do piquenique. Com todas essas condições, os aguiarenses, familiares e amigos não se fizeram rogados e apareceram em peso no Pinhal da Paiã, que fica nos arredores de Lisboa. As “cestas” das merendas e as geladeiras, eram transportadas pelas famílias e grupos de amigos que iam chegando, o que pressagiava convívio para todo o dia.          

O Bar começava a servir os mais sequiosos e a música já se fazia ouvir no recinto. Daí a pouco, dos grelhadores saíam grossos rolos de fumo e na “cozinha improvisada” já se salgavam as sardinhas e as carnes. Até o tesoureiro estava já a receber cotas de associados mais “apressados”, com muitos exemplares do livro: 30 Anos de História da CCAB, espalhados junto dele, para que ninguém deixasse de o levar consigo, para recordarem os tempos passados da Associação e o guardarem para a posteridade.

Por volta do meio-dia, chegou o autocarro vindo de Aguiar da Beira, que trazia os elementos do Rancho Folclórico de Pena Verde, os componentes do Grupo de Concertinas Clave de Sol e muitas outras pessoas que os acompanhavam. Traziam também com eles, os Bolos de Azeite, único produto regional que houve no Picnic. Essa foi a maior falha deste ano. Por vários motivos, não houve outros produtos da região: queijo da serra, chouriça, farinheira, presunto, biscoitos, etc. A direção da CCAB lamenta essa falha e promete em edições futuras, trabalhar para que tal não se repita.

Rancho Folclórico de Pena Verde

O cheiro das sardinhas, entremeadas e febras grelhadas começou a chegar aos narizes e daí a pouco o pessoal dos assadores já não tinha mãos a medir, pois toda a gente queria juntar essas iguarias, aos outros petiscos que tinham levado de casa.

Em voltas das muitas mesas, sentados ou de pé, toda a gente comia e bebia, enquanto conversavam animadamente.

Fotografia1241

A animação musical começou cerca das 15 horas, com o grupo de concertinas Clave de Sol de Pena Verde, a darem a volta ao recinto, tocando e cantando, a sua forma de saudar, nas palavras do Carlitos Campos, todos os presentes naquele convívio. Seguiram para o palco, onde fizeram uma grande atuação muito aplaudida pela assistência.

Grupo de Concertinas Clave de Sol

De seguida foi a vez da atuar um grupo de tocadores da Casa do Concelho da Pampilhosa da Serra, que estiveram pela primeira vez no piquenique da CCAB. Foi também uma atuação muito aplaudida pela grande plateia, que se alongava aproveitando a sombra à frente do palco.

Às 17:30 houve lugar à entrega de alguns Diplomas de Sócio Honorário, a pessoas que ainda os não tinham recebido.

De seguida subiu ao palco o Rancho Folclórico de Pena Verde, que eram o cartaz musical mais aguardado. Fizeram uma atuação digna dessa expectativa e a assistência não se poupou nos aplausos no fim de cada moda, muito bem dançada, tocada e cantada. Os seus trajos e utensílios campestres, ainda deixam muita “nostalgia”, em especial, nas pessoas que vieram para a cidade, há já muitos anos.

Atuou ainda o grupo de Concertinas e Cavaquinhos de Arnaldo Reis, antes de subirem ao palco, para encerrar a parte musical, o Grupo os Alegres de Queluz, do qual faz parte, o Presidente da Direção da CCAB Bernardino Fonseca. São um grupo que têm atuado nos últimos anos, nos eventos da Casa do Concelho e que são sempre ouvidos com muito entusiasmo e carinho.

Concertinas

Passava já das 20 horas, depois das respetivas merendas com mesas recheadas de muitos e bons petiscos, quando o grande convívio anual dos aguiarenses em Lisboa teve o seu final, com muitas despedidas. Umas até breve, pois as pessoas reencontrar-se-ão nas festas de verão das suas aldeias e do nosso concelho. Outros, só talvez no Magusto anual da CCAB em Lisboa, que será em fins de Novembro.

Alegres de Queluz

António do Nascimento Almeida

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *