Nova greve dos motoristas de matérias perigosas começou nesta segunda-feira — o que deve saber

Os motoristas de matérias perigosas, como os combustíveis para os veículos motorizados, entraram pela segunda vez em greve este ano. Com o início da greve às 00h00 desta segunda-feira, há também limites ao abastecimento. Um grande número de postos de abastecimento já não tem combustíveis e a situação é, ainda, incerta, não havendo data definida para o término. Os serviços mínimos decretados pelo Governo variam entre os 50 e os 100%.

No concelho de Aguiar da Beira, dos cinco postos de abastecimento existentes, apenas na BP de Quinta das Lameiras já esgotou o gasóleo.

Entretanto, o Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), que convocou a greve, anunciou que os motoristas não vão mais cumprir os mínimos decretados pelo Governo, depois de vários camiões com combustível não previstos terem entrado ao serviço esta manhã.

Image by IADE-Michoko from Pixabay

O que deve saber durante o decorrer da greve?

— Do total de cerca de 3000 postos de abastecimento, há 374 que a integram a Entidade Nacional para o Sector Energético (ENSE) e que funcionarão comos postos de abastecimento especiais, 54 para abastecimento de veículos exclusivos e 320 não exclusivos. A ENSE divulgou neste domingo um mapa interativo, no qual é possível perceber se, e onde, há combustível nos postos da Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA).

A população em geral pode abastecer nos postos não exclusivos, mas apenas 15 litros de gasolina ou gasóleo em cada abastecimento.

Nos postos que não integram a REPA os veículos ligeiros estão limitados a 25 litros por abastecimento e os veículos pesados a 100 litros.

Pode consultar, em tempo real, o estado dos postos de abastecimento em todo o país, no site Já Não Dá Para Abastecer, que informa se ainda há combustível nos vários postos de abastecimento do país.

Pode também consultar aqui a situação na REPA, feita pela ENSE.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *