Municípios da região de Viseu Dão Lafões reforçados com equipamento de combate à vespa asiática

©CIM VDL

O projeto “Deteção e Combate à Espécie Exótica Invasora Vespa Velutina”, da Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, promoveu em Julho a entrega de equipamentos de combate à vespa velutina (vespa asiática) aos municípios da região.

Entre os equipamentos distribuídos, numa sessão que teve lugar em Tondela, encontra-se diverso equipamento de proteção individual (EPI), hipsómetros, binóculos e kits de destruição de ninhos.

Este projeto, que se assume como uma forte aposta da CIM Viseu Dão Lafões na deteção e combate à espécie exótica invasora vespa velutina (vespa asiática), está orçamentado em 330 mil euros e consiste na operacionalização de ações dirigidas para a prevenção, vigilância e controlo da espécie, para proteção dos ecossistemas e, em particular, dos mecanismos de polinização por eles suportados“, referiu a CIM em comunicado.

Tendo em vista a deteção precoce de exemplares ou ninhos de vespa velutina e o posterior mapeamento e estudo da sua dispersão pelos 14 municípios da CIM Viseu Dão Lafões, já foi instalada, em todo o território, uma rede de armadilhas entomológicas de monitorização, dispostas numa malha de 3 quilómetros. A recolha e registo dos espécimes capturados são feitos de forma quinzenal, em todas as armadilhas, e estender-se-á por um período de dois anos. A recolha e monitorização realizada até ao presente permitem já um primeiro enquadramento da presença da espécie e da sua distribuição pelo território da região.

Para o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho, “este projeto assume uma importância estratégica para a região, na medida em que permite não só desenvolver um plano intermunicipal de combate a esta espécie invasora, mas também aumentar o conhecimento geral sobre a vespa asiática“.

Nesta fase do projeto, a CIM está a dotar os municípios das ferramentas necessárias para a deteção e o combate à vespa asiática. Queremos minimizar os efeitos provocados por esta espécie na atividade agrícola, os impactos na biodiversidade e, claro, promover a segurança das populações nos 14 municípios da região Viseu Dão Lafões“, complementa Nuno Martinho.

Esta iniciativa conta com a colaboração da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e está orçamentada num valor total superior a 330 mil euros, financiado a 85% pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.