CIM Viseu Dão Lafões promove acções de sensibilização nas escolas sobre as alterações climáticas

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, dando seguimento à estratégia definida no Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas (PIAAC–VDL), definiu um conjunto de acções de comunicação institucional e de sensibilização sobre os riscos associados às alterações climáticas. O projecto ‘O Futuro é Amanhã’ chegou esta segunda-feira às escolas dos 14 concelhos que integram a CIM.

Image by ejaugsburg from Pixabay

O objectivo do projecto ‘O Futuro é Amanhã’ passa por sensibilizar a comunidade escolar sobre as alterações climáticas.

Nuno Martinho, secretário executivo da CIM, disse que o projecto resulta do trabalho realizado ultimamente pela comunidade nesta temática, “não só com a elaboração do Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas mas também com todo o trabalho que tem vindo a fazer na defesa da floresta contra incêndios e numa maior resiliência do nosso território”.

‘O Futuro é Amanhã’ é dirigido a um público-alvo “muito importante”, sensibilizando os alunos para a adopção de comportamentos que possam mitigar os efeitos das alterações climáticas. O projecto já está a ser trabalhado conjuntamente com todas escolas da região e envolve cerca de 138 turmas, pretendendo abranger, de forma directa, mais de 4.000 alunos do 1.º, 2.º e 3.º ciclos de escolaridade.

O projecto conta com apresentações técnicas, workshops para professores, jogos e momentos lúdico-didácticos de sensibilização e comunicação. Nuno Martinho fala ainda de uma exposição, alusiva à temática do clima, que vai passar pelos diversos municípios da CIM Viseu Dão Lafões. Para além de alunos e professores o projecto é ainda dirigido às famílias e prolonga-se até ao final do presente ano lectivo. A mascote — chamada Átmos — irá interagir com os alunos nas diversas actividades a realizar.

A exposição vai estar uma semana em cada um dos municípios e pode ser visitada pelas escolas, por turmas, e também estará aberta para o público em geral e para a população”, conclui.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *