Carlos Paixão lança novo livro a 4 de dezembro em Sátão

“A Terra do Arco-Íris ou do Arco-da-Velha” é o título do novo livro de Carlos Paixão que conta com ilustrações de Carlos Pais.

O carapitense Carlos Paixão vai lançar um novo livro no próximo dia 4 de dezembro, às 18h00, na Casa da Cultura de Sátão. O livro, com o título “A Terra do Arco-Íris ou do Arco-da-Velha“, é a 15.ª obra do autor.

““A Terra do Arco-Iris ou do Arco-da-Velha” é Portugal, um lugar com tanta história, tantos monumentos, tanta multiculturalidade, com tanta experiência de humanidade. Este conto enquadra-se de forma excelente nos objetivos do Planeamento Estratégico para a Promoção do Sucesso Escolar, que tem vindo a ser desenvolvido pelo Agrupamento de Escolas de Sátão, nos últimos dois anos e entra agora no seu terceiro ano de implementação. Nesses anos uma medida tem implicado o envolvimento de toda a comunidade escolar: “Inclusão Cultural e Cidadania”. Pretendia-se, desde o início, abrir a Escola à Comunidade, criando espaços de partilha e de cultura, onde todos se sentissem incluídos e comprometidos. E assim acontece com este texto agora publicado, que concretiza de uma forma fantástica esse sonho que é de todos nós: fazer de Portugal um território inclusivo e solidário, onde todas as pessoas podem sentir-se parte de um grande projeto de esperança e de liberdade, como nos refere o autor na sua metáfora do “tapete rubro e verde” onde todas as crianças podem voar.”
Helena Castro, Diretora do Agrupamento de Escolas de Sátão

Carlos Afonso Paixão Lopes é natural de Carapito, concelho de Aguiar da Beira, onde nasceu, em 25 de Julho de 1959, e concluiu o Ensino Primário. Frequentou o Seminário das Missões, o Externato de Aguiar da Beira, o Colégio da Via-Sacra e o Liceu Nacional de Viseu. É diplomado pela Escola do Magistério Primário de Viseu e licenciado em História pela Universidade de Coimbra. Fez o Curso de Património Histórico-Artístico, Natural e Etnográfico do Centro Nacional de Cultura e Formação Pedagógica em Didática da Educação Física do 1º Ciclo do Ensino Básico. Exerceu funções docentes nos concelhos de Castro Daire, Cinfães, Vila Nova de Paiva e, atualmente, é professor no Agrupamento de Escolas de Sátão. Reside nesta vila. É casado, tem dois filhos e uma neta. Foi membro da Assembleia Municipal e foi vereador da Câmara Municipal de Aguiar da Beira. Publicou, em coautoria com o seu irmão, Tó-Zé Paixão, os livros: Dias de Fazer (1999), Aguiar da Beira – Roteiro Turístico (2000) e Por Minha Culpa (2001). É autor dos livros: Nos Caminhos do Pão (1995), O Homem do Pelourinho (2004), Lengalengas de Aprender a Ler (2006), O Planeta Desterrado (2008), A Tartaruga Atropelada (2009), Santos da Porta (2011), Sátão – Retratos da Nossa História (2011), À Descoberta do Primeiro Santo – São Teotónio (2012), Carapito – 500 anos de foral, milénios de história (2014), Freguesia de Sátão: Olhares (2016) e O Vento Bateu à Porta (2016).

Carlos Pais é professor licenciado em Educação Visual e Tecnológica pela Escola Superior de Educação de Viseu. Desde muito cedo manifestou gosto pela pintura e especialmente pelo desenho. Recentemente foi a ilustração que mais o interessou. Gosta de experimentar estilos e técnicas diferentes o que faz com que os seus trabalhos não obedeçam a um estilo único. Nos últimos anos ilustrou vários livros para crianças, nomeadamente: Lengalengas de Aprender a Ler (2006), O Planeta Desterrado (2008), A Tartaruga Atropelada (2010), Sátão – Retratos da Nossa História (2011), À Descoberta do Primeiro Santo – São Teotónio (2012), EstrelaMar e Golfilhote (2012), As Estranhas Aptidões de Iorix Iorky (2013), Norte Sonhadeiro (2014) e O Vento Bateu à Porta (2016). Em 2016 foi editado o livro Freguesia de Sátão: Olhares com fotografias suas.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *