COVID-19: Uma bofetada de luva branca na China

No mês passado, enquanto o número de novos casos de coronavírus mantinha a tendência exponencial em quase todo o mundo, a embaixada chinesa em Berlim queixou-se da forma como o jornal alemão BILD estava a tratar a gestão da pandemia por parte da China.

Esta foi a resposta do editor chefe do jornal (que também pode ouvir no vídeo abaixo em Inglês) e que deixou os Chineses ainda mais revoltados.

Caro senhor presidente Xi Jinping

A sua embaixada em Berlim dirigiu-me uma carta aberta depois de nós perguntarmos no nosso jornal — BILD — se a China deveria ou não pagar pelos enormes danos económicos que o coronavírus está a causar no mundo inteiro.

Deixe-me responder:

1. O senhor governa através da vigilância. O senhor não seria presidente sem ela. O senhor monitoriza tudo, cada cidadão, mas recusa-se a monitorizar os mercados cheios de doenças no seu país.

O senhor fecha todos os jornais e websites críticos à sua visão, mas não fecha as bancas onde a sopa de morcego é vendida. O senhor não está apenas a monitorizar o seu povo, o senhor está a colocá-lo em perigo — e com eles, o resto do mundo.

2. A vigilância é a negação da liberdade. E uma nação que não é livre, não é criativa. Uma nação que não é inovadora, não inventa nada. É por isso que o senhor fez do seu país o campeão mundial em roubo de propriedade intelectual.

A China enriquece com as invenções de outros, em vez de inventar por conta própria. A razão pela qual a China não inova e inventa é porque o senhor não deixa os jovens do seu país pensarem livremente. O maior sucesso de exportação da China (que ninguém queria ter, mas que já deu a volta ao mundo) é o coronavírus.

3. O senhor, o seu governo e os seus cientistas deveriam saber há muito tempo que o coronavírus era altamente infeccioso, mas o senhor deixou o mundo no escuro sobre isso. Os seus principais especialistas não responderam quando os investigadores ocidentais quiseram para saber o que é que se estava a passar em Wuhan.

Mas o senhor foi demasiado orgulhoso e nacionalista para dizer a verdade, que segundo a sua visão [saber-se que mais um vírus tinha saído da China] seria uma desgraça nacional.

4. O jornal “Washington Post” relata que os seus laboratórios em Wuhan estão a fazer investigação com coronavírus em morcegos, mas sem que sejam mantidos os mais altos padrões de segurança. Porque é que os seus laboratórios tóxicos não são tão seguros quanto as suas prisões para presos políticos?

Seria possível explicar isso às viúvas, às filhas, aos filhos, aos maridos, aos pais das vítimas de coronavírus em todo o mundo?

5. No seu país, o seu povo fala de si às escondidas. O seu poder está a desmoronar-se. O senhor criou uma China que não é escrutinável e não é transparente. Antes do coronavírus, a China era conhecida como um estado de vigilância. Agora, a China é conhecida como um estado de vigilância que infectou o mundo com uma doença mortal.

Este é o seu legado político.

A sua embaixada diz-me que não estou a cumprir com a “tradicional amizade entre os nossos povos”. Suponho que o senhor também ache que é uma grande “amizade” quando agora envia generosamente máscaras para todo o mundo. Não é amizade, eu chamar-lhe-ía de imperialismo escondido atrás de um sorriso — um cavalo de Tróia.

O senhor planeia fortalecer a China através de uma praga que o senhor exportou. O senhor não terá sucesso nisso. O coronavírus será o seu fim político, mais tarde ou mais cedo.

Com os melhores cumprimentos,

Julian Reichelt

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *