Concelho de Aguiar da Beira e sub-região Viseu Dão Lafões perdem poder de compra entre 2013 e 2015

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou nesta sexta-feira os dados do Indicador per Capita de poder de compra (IpC), da Percentagem de Poder de Compra (PPC), entre outros, para cada um dos concelhos de Portugal, relativos ao ano de 2015. O concelho de Aguiar da Beira e a sub-região Viseu Dão Lafões perderam poder de compra de 2013 para 2015.

NEGÓCIOS

Os dados apresentados pelo INE no estudo sobre o poder de compra concelhio em 2015 mostram que os valores para o IpC variam entre os 55,83, da Ponta do Sol, na Madeira, e os 214,5 registados em Lisboa, em que a média do país equivale a 100. Estes resultados mostram que, enquanto que no concelho de Ponta do Sol o poder de compra é quase metade da média nacional, em Lisboa é mais do dobro da média.

Os dados indicam ainda que apenas 33 dos 308 concelhos (10,7%) apresentavam um indicador do poder de compra per capita (IpC) acima da média nacional e que 23 dos 308 concelhos (7,5%) detinham metade do poder de compra de todo o país, em 2015.

Segundo o INE “no conjunto, os dois territórios metropolitanos [Lisboa e Porto] representavam mais de metade do poder de compra manifestado no território nacional, apesar de reunirem 44% da população do país (27% na Área Metropolitana de Lisboa e 17% na Área Metropolitana do Porto)” e que “o poder de compra está concentrado nas regiões do litoral continental”.

Do total dos concelhos, 147 (48%) apresentavam valores de índice de poder de compra inferiores a 75, o que indica que nestes concelhos o poder de compra dos cidadãos é 25% inferior à média nacional. Dos 10 concelhos com menor poder de compra per capita, oito pertenciam ao interior das regiões Norte e Centro, distribuindo-se pelas sub-regiões Tâmega e Sousa, Alto Tâmega, Douro, Terras de Trás-os-Montes e Viseu Dão Lafões, e dois à Região Autónoma da Madeira.

Analisando em mais detalhe a evolução do IpC na sub-região Viseu Dão Lafões ao longo dos últimos 22 anos, vemos que a tendência tem sido de crescimento, apesar de ter havido alguns períodos de estagnação ou de recuo no IpC, como é o caso do ano 2015.

Quanto à variação do IpC no concelho de Aguiar da Beira, no mesmo período, esta é semelhante à da sub-região, apresentando igualmente um decréscimo do IpC entre os anos 2013 e 2015.

Já em relação à variação do IpC de cada concelho da sub-região, em 2015, vemos que a maioria está abaixo da média da própria sub-região, variando entre os 58,59 de Penalva do Castelo e os 95,93 de Viseu. Aguiar da Beira encontra-se 5,07 pontos abaixo da média da sub-região.

Outro dado que reflete a diminuição do IpC da sub-região de 2013 para 2015 é o facto de todos os concelhos terem diminuído o seu IpC, com Santa Comba Dão, Aguiar da Beira e Sátão a registarem as maiores diferenças. Os concelhos que registaram as menores diferença foram Nelas, Viseu e Tondela.

Já em relação à PPC, que deriva do IpC, esta reflete o peso do poder de compra manifestado regularmente em cada concelho ou região no total do país, para o qual a PPC assume o valor de 100%.

A partir dos dados relativos à sub-região Viseu Dão Lafões e ao concelho de Aguiar da Beira podemos verificar que a sub-região teve um “peso” de 2,013% no poder de compra do país em 2015, com o concelho de Viseu a representar cerca de metade, enquanto que o concelho de Aguiar da Beira representou 0,032% no país.

Os dados da sub-região Viseu Dão Lafões e do concelho de Aguiar da Beira podem ser consultados aqui e os dados de todos os concelhos do país podem ser consultados neste mapa do Negócios.

Todos os estudos realizados entre 1993 e 2015 podem ser consultados aqui.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *